Espaço comunicativo, de teor artístico-cultural, em que a expressão poética assume o papel de maior relevo. Não há aqui lugar a pessimismos fátuos, a frustrações e/ou falsas evidências... Prevalecerão o bom senso e o critério humanísticos!
Sexta-feira, 28 de Julho de 2006
OS RIOS SÃO O ALIMENTO DO MAR SEM FIM !
CAMINHOS DE ÁGUA


O mar... grandeza
imensidão!
Água cantando
no silêncio
amando
à noitinha.
Céu estrelado.
Água cintilando...
Brandura.
Sorrisos azuis
de ternura.
Olhos rasos d'água
maré cheia...
Mais estrelas na água
caminhando
por amor.
Encantos seus...
Luar sereno.
Lembrando ...
Autor!...
Estradas gigantes
caminhadas
de navegantes!
Na alma
guarida calma.
Este silêncio
tem asas.
Na mente...
Amor transparente.
Cegueira doce.
Mar ardente!...


Conchita Machado
In MINHA VIDA É UM
POEMA


publicado por conchitamachado às 11:32
link do post | comentar | ver comentários (43) | favorito
|

"HÁ MAR E MAR, HÁ IR E VOLTAR!"
MAR, MEU HORIZONTE


Maior forma de vida
já vista!
Gigantesco espelho
de cristal...
Não há quem resista.
Tanta beleza
sem igual!
Só o Sol a nascer
e no horizonte...
Emite sinais da Fonte...
Inteligência a voar!
Universo este lugar.
Mais além
das estrelas... lança
disco d'avaliar.
Alcança
Mar... infinita riqueza!
Impulso guia
Natureza...
Canção toca água
numa pedra,
num rochedo,
numa ilha!...
Onde moram sons
maravilha!
Berço onde nasce dia!
Proeza filosofia...
Vivo mar cantando.
Amando
na areia rolando...
Perguntas não via.
Final da missão.
Luz neste mar...
Interrogação.
Ser amanhecer.
Céu a brilhar!...
De geração
em geração.


Conchita Machado
In MINHA VIDA É UM POEMA


publicado por conchitamachado às 11:13
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Quinta-feira, 20 de Julho de 2006
"NO PRINCÍPIO DE TUDO ESTÁ O VERBO"

AS PALAVRAS SEMPRE FICAM


"Se me disseres que me amas, acreditarei.
Mas se me escreveres que me amas,
acreditarei ainda mais.

Se me falares da tua saudade, entenderei.
Mas se escreveres sobre ela,
eu a sentirei junto contigo.

Se a tristeza vier a te consumir e me contares,
eu saberei. Mas se a descreveres no papel,
o seu peso será menor."

...e assim são as palavras escritas:
possuem um magnetismo especial,
libertam, acalentam, invocam emoções.

Elas possuem a capacidade de,
em poucos minutos, cruzar mares,
saltar montanhas, atravessar
desertos intocáveis.

Muitas vezes, infelizmente, perde-se o
autor, mas a mensagem sobrevive ao
tempo, atravessando
séculos e gerações.

Elas marcam um momento que será
eternamente revivido
por todos aqueles que a lerem.

Viva o amor com palavras faladas e escritas.
Mate saudades, peça perdão, aproxime-se.
Recupere o tempo perdido, insinue-se.
Alegre alguém, ofereça um simples "bom dia".
Faça um carinho especial.

Use a palavras a todo instante,
de todas as maneiras.
Sua força é imensurável.

Lembre-se sempre do poder das palavras.

"Quem escreve constrói um castelo,
e quem lê passa a habitá-lo."

(Autor Desconhecido)


Pesquisa de
Conchita Machado


publicado por conchitamachado às 16:22
link do post | comentar | ver comentários (40) | favorito
|

Quinta-feira, 6 de Julho de 2006
A CLARIDADE É O PRINCÍPIO DOS NOSSOS HORIZONTES !

 

 

   
ALVORADA !


Compasso longo...
longamente
mostrador.
Observa...
Vai correndo
tempo
com ardor!
Discretamente
como relógio
repetição.
Galos cantam
diluindo
escuridão!
Acerta
no dia
noite.
Acerta
na noite
o dia.
(apaga-e-acende)
A verdade
tempo
a voltar...
Alvorada
cada instante...
Contigo
a despertar!


Conchita Machado
In  MINHA VIDA É UM POEMA


publicado por conchitamachado às 18:33
link do post | comentar | ver comentários (42) | favorito
|

Quarta-feira, 5 de Julho de 2006
A ÁRVORE NO SEU TODO É O PULMÃO DA HUMANIDADE !
     O SUPLÍCIO DA ÁRVORE

Homem,
Eu sou o calor do teu lar nas noites frias do inverno:
A sombra amiga, quando queima o sol de Verão.
Sou a estrutura da tua casa, as tábuas da tua mesa.
Sou a cama onde dormes, e a madeira com que fazes os teus navios.
Sou o cabo da tua enxada, e a porta das tuas cercas.
Sou a madeira do teu berço, e ainda do teu caixão.
Escuta a minha prece, sim?

Homem,
Deixa-me viver para temperar os climas e facultar o desabrochar das flores.
Deixa-me viver para impedir os tufões e travar as tempestades de areia.
Deixa-me viver para acalmar os ventos, as nuvens, e ajudar a chuva, que é o
veículo da vida do mundo.
Deixa-me viver para impedir as inundações catastróficas que matam.
Sou a fonte de todos os rios, sou a fonte dos riachos.
Sou a verdadeira riqueza da Nação, contribuo até para a prosperidade da mais
pequena vila.
Eu embelezo o teu País com a verdura da minha copa.

Homem!
Ouve a minha prece!
Não me destruas!

(texto antigo de um sábio indo-chinês)

Pesquisa de
Conchita Machado


publicado por conchitamachado às 12:43
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27

29
30
31


posts recentes

ESTA BALADA DE VERÃO

HISTÓRIA DE UMA NOITE DE ...

AS FESTAS POPULARES PORTU...

NÃO HÁ FESTAS POPULARES S...

FERNANDO DE BULHÕES - O ...

AQUELE MAR DO ANOITECER ....

QUEM TEM UMA MÃE TEM TUDO...

A MULTIFORMIDADE DO AMOR ...

O SOL AINDA BRILHA PARA T...

SETE SÃO OS MARES.... MAS...

arquivos

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds