Espaço comunicativo, de teor artístico-cultural, em que a expressão poética assume o papel de maior relevo. Não há aqui lugar a pessimismos fátuos, a frustrações e/ou falsas evidências... Prevalecerão o bom senso e o critério humanísticos!
Domingo, 30 de Abril de 2006
A PROVIDÊNCIA VELA POR TODOS
NÃO PODES ESQUECER !


Não podes esquecer
que, quando sonhas e constróis
castelos de esperança
alguém, na penumbra do silêncio,
empolga invisivelmente os teus anseios.

Não podes esquecer
que, quando repousas tranquilamente
alguém, qual estrela vigilante,
vela sem descanso sobre teu rosto
adormecido.

Não podes esquecer
que, quando te curvas sobre o trabalho,
alguém suaviza teu espaço,
e enxuga o suor da tua fronte...

Não podes esquecer
que, quando voas nas asas da glória,
alguém te sustém embevecido,
oculto na sombra do incógnito...

Jamais podes esquecer
que, quando te debates e sofres,
há sempre um Coração fiel e Amigo,
que, qual Verónica, acolhe com amor
os matizes vivos da tua alma !


Autor desconhecido
Pesquisa de Conchita Machado


publicado por conchitamachado às 16:58
link do post | comentar | ver comentários (57) | favorito
|

OLHANDO A CIDADE ...
OLHAR SOBRE A CIDADE


Um olhar
sobre a Cidade...
Páginas soltas
invadem
sentidos...
desperta vontade !
Mergulhar...
cada palavra,
uma extensão
desfrutar...
olhar vago
parte coração,
tece juízos
conteúdos
emoção.
Este atravessar!...
a Luz
se reflecte
no Olhar !


Conchita Machado
In A MINHA VIDA É UM POEMA



publicado por conchitamachado às 16:53
link do post | comentar | favorito
|

OS INTRANSPONÍVEIS DO AMOR !...
                                  NASCIDOS EM NOSSOS CORAÇÕES
 
                                                                        Por
                                                                        Silas Correia Leite

Para onde fores terei de ir contigo
Não sei quem sou sem ser contigo

Dora Ferreira da Silva

Muito antes de nascerem no átomo e na água, já aprendemos - e literalmente descodificamos o próprio conhecimento sensível - o maravilhoso e legítimo legado (de também sentirmos que precisaremos) de algumas pessoas especiais para um refinamento humano de nossa alma-genuína sempre em mutação. Pessoas, quem?
De alguma maneira - que não sabemos - honrados pelo mérito da nova chance os escolhemos nalgum amplo hangar do espírito. Um bom espírito atrai outro bom espírito complemento, como papel-espelho, assim como escolhemos filhos e amigos, doces e canções, sementes e raízes, doenças e planos infrutíferos.
Antes mesmo de nascerem, os escolhemos e eles, aqui, nesse plano, como compensação só poderão ser nascidos em nossos corações, feito uma nova oportunidade de os conquistarmos para o futuro de novos céus e novas dimensões. Como escolhemos o filho, a mãe, o irmão, dentro do ninhal de Deus e com a devida cota de afectos e lágrimas, além do depósito existencial do Banco Novo Mundo do Céu, e assim os escolhemos para nos ajudar e nos melhorar. Somos dependentes deles.
Um amigo turrão que vive no cobrando-nos. Um irmão doce que vive perdoando-nos ou que nos vê como santo. Uma sobrinha maravilhosa que, um dia, no estado ancestral da alma evolutiva perdemos, e então temos - a nova tentativa de Deus - a chance da escolha para sobrinha-filha, para então jamais a perdermos de nós mesmos. E não é qualquer alma que escolhemos para sobrinha-filha. Ah se elas soubessem o motivo divinal, adorar-nos-iam. E elas têm que ser especial como a nossa vida antiga e sempre renovada, que coadunem com o nosso espírito, nossos limites. Há uma cota de afectos também. Perdões valem ouro no altar do céu.
Não podemos fugir de nós, do que já fomos um dia, do que seremos, do que ainda havemos de ter; de voltar a conquistar ou fazer por merecer um dia futuro. Anjos e dores nos são dados, sempre e tanto, para nos refazermos em nós, depois dos desvios de caminhos, situações-limites, desvios de conduta, sagrações. Escolhemos cruzes e estrelas, quando estamos no lumiar do portal de Deus. Muito antes de nascermos, escolhemos os que não serão de nosso sangue, de nosso corpo e de nossa família, mas que, por certo, eternamente sempre serão nascidos do coração.
Filhos podem ser dívidas, como podem ser recompensas. Mães podem ser anjos ou bónus de circunstâncias para tratamentos vivenciais difíceis. Pais podem ser mãos peregrinas brincando a intervenção cósmica nossa, como caridosas mãos estendidas, com risos abertos, com abraços demorados. Perdas e ganhos, saudades e reconhecimentos. Ah a filha que não tive. Ah a mãe que perdi. Ah o pai que era um exército provedor de estima. Ah o amor que nunca fizemos por merecer. Nenhum encontro é para ser trauma. Desencontros afinam sensibilidades.
Nenhuma perda é para ser neura. Nenhuma morte é para ser adeus. Certos adeuses são curas de feridas da alma. Nascem dos nossos corações os amigos que brilham, os vizinhos que somam, os descendentes que virão cobrar-nos, quando purgaremos erros. Quando é que estamos em nós?. Plantamos a cruz como plantamos o amor. Colhemos familiares conforme a nossa cota sacrificial de fazermos por merecê-los. No espiritual o que é grátis, é pura conquista. O que é dor é mero resgate de percurso. O que é perda é cessão de referencial por algum tempo. Lições. Aprendizados.

Voltaremos sempre a nos reencontrar, de uma forma ou de outra, em situações diferentes, inversões de hierarquias, privações e louvações? Não faz diferença o local e o grau de parentesco. Deus é o programador. No unus mundus, a criança divina é todo aquele sentimento oxigenante que permanece sereno em nós. A alma aprendiz. O reforço de lágrima. A pomada de dor. Entre a cicatriz e a morte, há a aurora química da terra a formar o universo conspirando a favor. Celebremos as núpcias da ancestralidade. Colhamos a nova aurora de uma nova relação-sentimento. Há o milagre de esperar para que, aquela sobrinha-filha de alguma maneira, nalguma vida uma dia desviada de fisionomia, possa vir a ser recuperada no fulcro do futuro como carta de crédito de Deus. E então possa vir a ser novamente filha, ou irmã, ou mãe. Amigo que é amigo cumpre a estima. Portanto, ergue teus braços para o infinito, e abraça essa oportunidade no devir de teu pagamento, se fizeres por merecer. Sempre há uma chance provedora ou provocadora de revisão.
Uma reconquista assim é uma jóia preciosa que recuperamos, no diadema de magnífica luz que ornará o nosso caminho, muito além da fonte da vida eterna, de onde nascemos gota de Deus para a merecida evolução no primeiro átomo da água. Há uma aurora que às vezes não percebemos depois do caos. O que nos foi dado e o que não nos foi possível ainda. O que perdemos e recuperamos em actos e conquistas. O que poderia ter sido, já foi tristeza e deixou mágoas. Só será novamente nascido em nosso coração, quem tem tudo a ver com o que somos enquanto humanus. Dependência é isso.
Nascidos em nossos corações porque sabemos que não há escada sacrificial. O zelador que, sem saber, com o nosso respeito e humildade sorri dentro de nossa mente, todo santo dia. Aquele ser que, sem saber direito, porque e como, nem tem muito a ver connosco, quem sabe se talvez até nem o reparamos direito no meio de nós, e um belo e bendito dia nos estende a humilde mão servidora e diz que adora nosso jeito de ser. Amigos nós escolhemos pelo mérito. O coração tem uma regra que mora no âmago das coisas E é o amor que mora no âmago de tudo. Amor é tudo.
Se plantarmos muros, colheremos muros. Se semearmos escadas, podemos provocar a colheita de degrau inferior. Se depositamos vaidade na mão do destino, colheremos impurezas na alma. Perdoar é divino. Servir é para quem nasceu provido, principalmente de grandeza interior. Somos estrangeiros em nossos próprios erros? O que queremos fazer de nós? Aliás, o que já fizemos de nós e agora não queremos aceitar como paga de retorno? O pescador de pérolas precisa afinar o tacto, a respiração, a devida compreensão do estético. O mosaico do monge é íntimo. Elefantes não jogam dados.
Nascidos dos corações nos pertencem primeiro e antes mesmo de nascerem. Moram em nossa compreensão mais intima, são mais do que merecedores de nós, e aqui outra vez estamos para uma troca de igual para igual. A alma sabe o exacto local do seu endereço, do referencial de estima recíproca, da carência e daquilo que nos trará de novo para o altar do sangue, porque é do coração e no coração que nasce a virtude. Consulte seus actos. Percorra os labirintos de sua memória. Fique de bem com você mesmo. Nada será tirado de você. Nada será dado gratuitamente também. A harmonia do todo, regerá a colheita do certo e do errado, do fermento ou da paralisia. Tudo é seara. Nascidos do coração são nossos cartões de créditos emotivos. Podemos sacar o quanto precisamos, e sempre haverá mais. Precisamos repensar sentimentos, para não termos que pagar com uma nova vida, a dívida que escolhemos para nossa evolução.
Consulte sempre o seu coração para ter sempre uma boa viagem de viver nesse plano, aqui e agora. O pior retorno é aquele que você mesmo sofreu uma vida e não aprendeu para evoluir. Perdeu pra você mesmo. Amar não dói. Nascidos em nossos corações brilham ao redor de nós, no entorno edificante de nós, e assim então recarregamos a pilha cósmica de Deus por intermédio deles, válvulas de resgate do amor.

Silas Correa Leite - E-mail: poesilas@terra.com.br
Site pessoal: www.itarare.com.br/silas.htm
Livro ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS no site
www.hotbook.com.br/rom01scl.htm


publicado por conchitamachado às 08:52
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Domingo, 16 de Abril de 2006
A CRUZ FEZ-SE VIDA !

                               

CRUZ  FLORIDA


Caminhos destroçados
Realidades insondáveis
Unidas na razão
Zurzida da alma.
 

Força originante
Levando na vaga
Oriunda da aurora
Renasce hoje
Iniciando novo rumo
De místico sinal
Agua cristalina.


Conchita Machado
In “A Minha Vida é um Poema”



publicado por conchitamachado às 21:27
link do post | comentar | ver comentários (38) | favorito
|

Sábado, 15 de Abril de 2006
OS VECTORES DA PAIXÃO

                        

                               HINO DE DOR

 

Força suprema...
Viagem... esperança...
Com amor.
Só e ausente,
tristeza que mata...
Confiança. Calada a voz...
Ainda mais alta
chega lá longe
bem perto de si.
A fé não falta,
alimenta o infinito,
o divino.
Amor de Mãe
inunda o espaço,
sonha o além...
Este hino, esta palma !
Triunfante o coração...
adivinha tempestade
na palma da mão.
Nostalgia, solidão...
Este mar... no caminho...
por terra caindo
sinal mais.
Alto... contra a corrente,
voam marcas e sinais.
Neste dia e nesta noite,
força na dor...
Desaparece o espinho
e, no amor, existe
grito e hino de Dor !
 
 
Conchita Machado
In "A Minha Vida é um Poema"


publicado por conchitamachado às 23:26
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

SEXTA FEIRA SANTA 2006

                         Cruz2.jpg

OS FARISEUS DA NOVA ERA
 
Pela calçada da Cidade deambulavam
dois nobres e preclaros juizes do Pretório
e sobre eventos bem recentes dialogavam...
 
- Os tempos correm mal no seio das famílias,
nunca há acordo acerca de algo meritório
e cada dia surgem mais e mais quezílias.
 
- Sim, porque de respeito estamos conversados
e, então moral, já nem com amplas homilias...
É bem verdade que estes tempos estão mudados.
 
- Nos nossos tempos, sim, tudo era mais correcto...
os pais e os mais velhotes eram respeitados;
e nas instituições tudo era bem discreto...
 
- Pois, olhe lá o que se passa nas escolas:
cumprir ou não cumprir dá sempre tudo certo
e os próprios mestres não passam de uns farsolas.
 
- Ora aí está. Faz falta a velha autoridade
e os boas tradições p' ra todos, ora bolas!
Veja qu' até a mentira de hoje é verdade...
 
- Por falar nisso, vamos ver de nossos Pares:
já há uns tempos p' ra cá qu' os quatro não nos vemos.
Vamos ao Foro, pois lá temos outros ares.
 
Encontraram-se os quatro Juizes no Palácio
estando em 'studo um ruim processo com seus termos:
assunto delicado, logo em seu prefácio.
 
Matéria em causa de violência educativa:
educadora um deficiente maltratou,
utilizando assaz a força correctiva.
 
Primeira instância contra ela decretou,
como lição de uma moral valorativa,
a pena de uma repreensão efectivou.
 
...............................
 
A tetrarquia mor de juizes convocada,
Acácio, Bonifácio, Horácio e Pancrácio,
exposta diante desta pena reclamada ...
 
À luz claríssima da humana realidade,
entrada em choque com a anterior deliberatio,
deu razão a quem usou de agressividade:
 
O juiz Acácio apela para a educação,
o Bonifácio acha justas as palmadas,
Pancrácio e Horácio prestam jus à dura mão.
 
Agora, no país, consciências revoltadas
pois se esqueceram do móbil da acusação
deixando as pobres vítimas fragilizadas.
 
Seguiram o critério do in dubio pro reo,
não ponderando outros caminhos mais coerentes,
que desde sempre a lusa Lei enobreceu.
 
Até o titular da causa destas gentes,
podendo aproveitar o exemplo que não deu,
teria limpo aos juizes suas velhas mentes...
 
Disse a todos que nesta causa é inocente,
e que o Estado comporta apenas a exigência
sem castigos de corpo e com olhar clemente.
 
Como Pilatos desta forma as mãos lavou
sem estilhaçar p' ra sempre a incauta violência
nada prevendo se outras guerras semeou !?
 
 
Frassino Machado
In "Odisseia da Alma"


publicado por conchitamachado às 10:50
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|

Sexta-feira, 14 de Abril de 2006
PARÁBOLA DO MUNDO-CÃO ...

OS DEVERES DE CASA.jpg

VOCÊS MERECEM-SE ?
Por
Silas Correia Leite
Para o Exmo. Dono :
- Você faz por merecer o seu "bicho predileto" que pensa que foi ele quem escolheu você? Você leva-o para passear, deixa que ele perca suor, perca peso, tropece no tapete das etiquetas, babe por aquela cadelinha da lanchonete da esquina, ou se insinue para aquela outra zinha do apê vizinha, sempre engaiolada, cara de fuinha atrás de um amante de perdição escondendo o falso rabinho entre as pernas além do silicone no coração?
- Você lhe dá uma porção diária de ração natural de amor viçado, deixa-o pensar que manda e é o tal herói, quando ele faz um rápido cafuné maquinal decorado e depois dispensa tedioso você quintal afora, ou você, na próxima reaproximação, esconde o chinelo do dezelo íntimo dele; ou você saca bem a pequenez do tipo e rói o osso da mediocridade humana, sempre perdoando feito um anjo?. Ninguém merece, não é mesmo?
...............................
Para o Ded.mo Bicho :
- As relações humanas doem, são complexas como você bem sacou, cheirando problemas. Então eles se amparam em seres como você, mas, verdade mesmo, os "piores animais" são eles, os homens, as mulheres. Os piores poluidores do Planeta Água. Brinque com ele mas fique com uma patinha atrás, de vez em quando. Anime-o, faça piruetas, leve-o para passear, seja serelepe, assim ele perde o colesterol, a barriga, melhora a circulação e, ainda, você será a bendita proteção dele, apesar dele pensar que é superior, essas coisas. Ele às vezes acha que é o que não é. Não tem limites, nem cercas, nem controle remoto. Faz parte. A vida é assim mesmo Lulu, Rex, Tintim, qualquer nome que você tenha, quer seja Donzela, Esfinge ou Sabonete, sabe, eles arrumam cada nome, não têm noção do ridículo mesmo. Isso é coisa da espécie humana às vezes nem tão humana assim. Você tem que sobreviver entre eles como puder, sem refugar, sempre perdoando.
- Você faz por merecer seu animal, mas, cá entre nós, o homem que pensa que é seu Dono, faz por merecer você? Cachorrinho, Gatinho, Papagaio, o que quer de precioso que você seja, tenha dó, cuide bem de seu animal de estimação, o enigmático Bicho Homem.
 
Mil Luas pra você!    Silas Leite


publicado por conchitamachado às 11:50
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

ALGURES DENTRO DE NÓS ! ...

cascata natural.jpg 

A NASCENTE



Enseada do bosque
desce ao ritmo de enxurradas caudalosas...
Se queres encontrar a nascente,
deves continuar para cima,
contra a corrente.
Penetra, busca, não desistas,
tu sabe-lo, deveria estar aqui,
em qualquer lugar...
Nascente, onde estás?...
Onde estás nascente?!
Um silêncio...
Torrente de bosque,
torrente, revela-me
o mistério da tua origem!


(Um silêncio...
porque te calas?
Escondeste da vista
escrupulosamente
o mistério da tua origem.)


Permite-me aspergir os lábios
com a água da nascente,
sentir a frescura,
frescura vivificante !



SS. João Paulo ll (Tríptico Romano-Meditações)



publicado por conchitamachado às 11:14
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Quarta-feira, 12 de Abril de 2006
CURIOSIDADES PENSANTES

pensador.jpg

PENSO... LOGO, PREOCUPO-ME !
 
O melhor da nossa vida, não resulta pelo que aparentamos mas sim pelo que queremos, sabemos e fazemos...
 Ao longo da nossa vida, as pessoas que nos marcam, por norma não tiveram sucesso, não têm credenciais extraordinárias, não têm grande fortuna ... mas preocupam-se connosco, sabem e querem cuidar de nós, estão ao nosso lado em qualquer circunstância.
George Santayana disse um dia: "aqueles que esquecem o passado, estarão condenados e repeti-lo."
 Dan Bennett disse um dia: "quando as crianças passam da idade de ser castigadas, ficam muito sabidas para serem doutrinadas."
Charlie Chaplin disse um dia: "empenho tudo na busca de um bom amigo, incluindo a própria alma, com uma amizade verdadeira a vida torna-se mais simples, mais rica e mais bela ."


publicado por conchitamachado às 12:18
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 10 de Abril de 2006
O PRÍNCIPE DAS GALÁXIAS !

eclipse total2.jpg

O INTERESSE CIENTÍFICO DOS ECLIPSES
 
Um eclipse total do Sol constitui sempre um espectáculo inesperado, capaz de aterrorizar quem não tenha ideia de que se trata de um acontecimento natural e previsível, e encantar (e mesmo comover) aqueles que esperam anciosamente por apreciar uma tão rara beleza que a natureza nos oferece. Apesar de ser bem conhecido o "mecanismo do eclipses", o fenómeno continua a motivar a comunidade científica com o objectivo de estudar alguns enigmas que o Sol ainda epresenta e mesmo conhecer melhor as suas influências sobre a Terra. Existem ideias sobre algumas expressões da actividade solar (manchas, erupções, etc.) e de como o Sol produz o campo magnético que o envolve, bem como acerca da alteração de algumas das características da atmosfera terreste quando (por ocasião de um eclipse solar total) a Lua interrompe abruptamente o fluxo da radiação solar sobre ela. No entanto, em quase todos os domínios da física solar existem detalhes a aperfeiçoar e muitos dos elementos só estão disponíveis nos poucos minutos que dura a totalidade de um eclipse; erupções (protuberâncias) que se evidenciam no limbo solar (por a luminosidade vinda do disco estar, bloqueada pela Lua) e cuja extenção pode ser comparada com a da Terra, ou mesmo a distribuição do campo magnético solar, nomeadamente as "linhas de campo" evidentes nas regiões polares ou ainda a deformação (diferente de eclipse para eclipse) observada na auréola que envolve o Sol.
Pesquisa de
Conchita Machado


publicado por conchitamachado às 15:08
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27

29
30
31


posts recentes

ESTA BALADA DE VERÃO

HISTÓRIA DE UMA NOITE DE ...

AS FESTAS POPULARES PORTU...

NÃO HÁ FESTAS POPULARES S...

FERNANDO DE BULHÕES - O ...

AQUELE MAR DO ANOITECER ....

QUEM TEM UMA MÃE TEM TUDO...

A MULTIFORMIDADE DO AMOR ...

O SOL AINDA BRILHA PARA T...

SETE SÃO OS MARES.... MAS...

arquivos

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds