Espaço comunicativo, de teor artístico-cultural, em que a expressão poética assume o papel de maior relevo. Não há aqui lugar a pessimismos fátuos, a frustrações e/ou falsas evidências... Prevalecerão o bom senso e o critério humanísticos!
Segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2006
"A SAGA DO GRANDE CRUZADO" - 1 ... Caminhos insondáveis !
CRUZADA.jpg

ECOLOGIA HUMANA 1

Por
Dr. Júlio Roberto

Nunca como hoje o problema da Ecologia e em particular da Ecologia Humana, apareceu com tanta prioridade, mas também nunca como hoje. o Homem se viu confrontado com tantas questões de desequilíbrio.
É bem verdade que as atitudes e as preocupações sobre os temas são resultados de crises, e estas por sua vez geram algumas medidas que tentam remediar o que está mal e são também promotoras da mudança de atitudes mentais perante o mundo em que vivemos.
A confusão, porém, instala-se cada vez mais.
De um lado aparecem os ecologistas e do outro os depredadores do nosso planeta.
E enquanto esta nova "guerra" se desenvolve, o Homem fica atónito e sem grande esperança, pois entre os males que avançam e os remédios que são tomados, há uma diferença a favor dos primeiros e um atraso nos segundos.
Porquê? Porque há uma crise de mentalidades, uma crise de valores e uma crise do pensamento. Daí resulta também uma crise de interesses, uma guerra sem tréguas entre uma economia de consumo e a preservação dos bens mais caros ao próprio ser vivente neste planeta.
Daí resulta também uma outra confusão: o que é a Ecologia?
Para muitos é uma ciência, para outros uma ideologia. Se calhar não é nem uma coisa nem outra. Se calhar é mais uma atitude e uma revolução nas formas de pensar e de sentir. No fundo, e quanto a nós, um caminho para "reaprender a viver".
Eis porque os próprios "ecologistas" têm uma força e se calhar uma visão técnica da ecologia. Porque no fundo, os mesmos que a si próprios se designam "ecologistas" têm muitas vezes uma mente e valores íntimos iguais ou parecidos com aqueles que combatem. Não nas atitudes exteriores, mas no seu foro íntimo.
A poluição do ar, dos rios e do mar, a desertificação dos solos e o seu envenenamento químico, os buracos do ozono, os ruídos do trânsito, a intoxicação por medicamentos e alimentos, as letras cada vez mais pequenas dos jornais, livros e revistas, a proliferação do sexo como fonte de evasão, o stress, a pressa de correr atrás de nada, o consumidor de tudo para ficar mais bonito (não ficando), a busca de felicidade atrás do "ter" e a morte do "ser", etc., etc... são tudo aspectos parciais duma questão bem mais funda. E essa questão é precisamente a mente humana, os valores, os seus estímulos, os seus objectivos, truncada e ludibriada por concepções da VIDA, baseadas no "mais" e não no "melhor".
Ora, a revolução que está por fazer - e isso é a REVOLUÇÃO ECOLÓGICA - é a mudança dos conceitos do que é VIVER e no fundo da génese duma certa forma de felicidade.

( Cont. )


publicado por conchitamachado às 19:03
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Anónimo a 27 de Fevereiro de 2006 às 19:09
Oi...

Vim aqui agradecer ao teu comentario no meu blog...
vou voltar mais vezes... Fica bem ;)M.Viti
(http://noangel.blogs.sapo.pt/)
(mailto:mviti@sapo.pt)


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27

29
30
31


posts recentes

ESTA BALADA DE VERÃO

HISTÓRIA DE UMA NOITE DE ...

AS FESTAS POPULARES PORTU...

NÃO HÁ FESTAS POPULARES S...

FERNANDO DE BULHÕES - O ...

AQUELE MAR DO ANOITECER ....

QUEM TEM UMA MÃE TEM TUDO...

A MULTIFORMIDADE DO AMOR ...

O SOL AINDA BRILHA PARA T...

SETE SÃO OS MARES.... MAS...

arquivos

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds